Referências bibliográficas

Gostaria de apresentar algumas sugestões bibliográficas para completar este trabalho, de modo que o leitor possa se inteirar mais e conhecer melhor sobre a história da estratégia na China. Optei por privilegiar o material em português, embora alguns livros que julguei indispensáveis sigam no idioma original.

Sobre Sunzi e Sunbin:

André Bueno, A Arte da Guerra. São Paulo: Jardim editorial, 2010. - Esta é minha tradução sobre os treze capítulos originais de Sunzi, baseadas no texto original.

Samuel Grifhitt, A arte da Guerra. Lisboa: Europa-América, s/d. - Esta versão conta com uma tradução de Sunzi com os comentários posteriores, e um anexo com o texto de Wuzi. Um tanto antiquada, porém boa.

Ralph Sawyer, A arte da guerra: Sun tzu e Sun pin. São Paulo: Martins Fontes, 2002. - Versão das obras de Sunzi e Sunbin traduzidas a partir da versão de Sawyer, o maior especialista americano em história das estratégias chinesas.

Roger Ames e D. C. Lau. A arte da guerra de Sun pin. São Paulo: Record, 2004. - Tradução excelente da obra de Sunbin, feita por sinólogos famosos e com o texto original descoberto em 1972. Conta ainda com uma magnífica introdução histórica.

Sobre os outros textos:

Jean Levi, Os 36 estratagemas: manual secreto da arte da guerra. São Paulo: Ciranda cultural, 2007 (trad. Mariana Echalar) - Excelente estudo sobre as 36 estratégias, brilhantemente correlacionadas aos hexagramas do Ijing, feitas pelos erudito sinólogo Jean Levi.

Harro Von Senger, O livro dos Estratagemas. Rio de Janeiro: Ediouro, 1996. - Um livro dedicado a explicar as 36 estratégias, ilustrando-as com histórias sobre sua aplicação. Contudo, este texto só analisa 18 das estratégias, deixando para um segundo volume (que ainda não saiu) a sua continuação. Trata-se de uma excelente introdução histórica ao assunto.

Taigong (T’ai Kung), na versão de Francisco de Abreu, Os seis ensinamentos secretos. Lisboa: Silabo, 2003. - Tradução da obra de Taigong, mas com alguns problemas - além do uso de arcaísmos, o autor é partidário da idéia de que Taigong veio antes, talvez como forma de promover o livro.

Ralph Sawyer, The tao of deception. Estados Unidos: Basic books, 2007. - Uma história da estratégia chinesa, feita pelo maior especialista ocidental no tema. O livro de Sawyer é fantástico, analisando uma história da guerra na China pelo ponto de vista desta civilização e de seus textos clássicos.

Ralph Sawyer, The seven military classics of ancient china. Estados Unidos: Westview, 1993. - Sawyer é principalmente um tradutor abalizado do chinês, tendo apresentado diversos textos absolutamente desconhecidos sobre estratégias chinesas para o público americano. Neste livro, ele apresenta os sete principais tratados de estratégia da antiguidade chinesa, que servem de base para praticamente todas as outras traduções existentes no mundo ocidental. Cada um deles conta, ainda, com uma introdução histórica detalhada, e uma bibliografia extensa. Trata-se de um dos trabalhos decisivos no campo da sinologia.

Thomas Cleary, A sabedoria do guerreiro. São Paulo: Record, 2001. - Cleary é um tradutor admirável da língua chinesa, dirigindo-se, contudo, mais ao publico leigo do que propriamente ao acadêmico. Suas traduções são agradáveis, e não raro utilizam terminologias modernas para serem mais acessíveis. Os trabalhos de Cleary buscam dialogar com os leitores de estratégia que não sejam apenas militares - administradores, curiosos, assistentes sociais, filósofos, etc. Neste livro, ele apresenta seleções dos mais diversos tratados chineses antigos de estratégia, mas organizados por temas.

Thomas Cleary, O conhecimento da arte da guerra. São Paulo: gente, s/d. - Neste outro livro de Cleary, são apresentados trechos de obra de Zhuge Liang e Liuji, sempre de modo temático e selecionado.

Wee Chow Hou e Lan Luh Luh, As 36 estratégias dos chineses. São Paulo: Record, 2003. - Uma apresentação completa sobre as 36 estratégias. Embora dedicado ao público dos negócios, conta com uma ilustração histórica correta e cuidadosa, que valoriza bastante a análise.

Sobre a História da China:

Anne Cheng, História do pensamento chinês. Petrópolis: Vozes, 2008. - O mais recente, completo e excelente manual sobre a história do pensamento chinês, de suas origens ao século 20.

André Bueno. Mirações do Celeste - estudos em história e cultura chinesa. Rio de Janeiro: Agbooks, 2010. - Neste livro, analiso um perfil geral da civilização chinesa, de modo introdutório, nos seus mais diversos aspectos e baseado na documentação chinesa - ou seja, a visão da China por seus próprios olhos. Também disponível em www.miracoes.blogspot.com  

W. Scott Morton, China - História e Cultura. Rio de Janeiro: Zahar, 1986. - Um livro saboroso de se ler, fácil, agradável, e porém muito bom e informativo sobre a história da China.

Jonathan Spence. Em busca da China Moderna. Rio de Janeiro: Companhia da Letras, 2006. - Estudo denso e aprofundado sobre a história da civilização chinesa em seus períodos mais recentes, após a dinastia Ming. Leitura essencial para quem se pretenda sinólogo ou mesmo conhecedor da China.

Uma excelente novidade são as traduções dos textos clássicos de estratégia chineses feitas pelo Monge Marcos Beltrão, e disponíveis nesse link. Esses textos suprem a lacuna fundamental que existia em nossa língua sobre a arte da guerra chinesa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário